svg

100% saúde, 100% você!

    Entenda um pouco mais sobre a depressão

    Psicologia, Psiquiatria / 23 de junho de 2020

    A depressão é um transtorno psicológico que afeta diversas pessoas em todo o mundo e que pode ser desencadeado por uma série de fatores.

    Principais causas e fatores da depressão

    Os fatores que contribuem para o desenvolvimento da depressão podem ser divididos em genéticos e ambientais, sendo os últimos influências externas diversas. “A depressão é uma doença multifatorial, isto é, tem como causas diversos fatores, os quais passam por eventos biológicos, como exposição a medicações, ambiente de criação na infância, eventos traumáticos ao longo da vida, dentre outros. O adoecimento é o resultado de uma combinação destes diversos fatores”, explica o psiquiatra Eduardo de Castro Humes”.

    Sintomas da depressão

    Os sintomas mais famosos da depressão são a tristeza, desânimo, angústia e apatia. Soma-se a isso inquietação, irritabilidade, falta de concentração, sedentarismo e tendência ao isolamento social. Falta de apetite e dificuldade em pegar no sono também são comuns, mas o oposto pode ocorrer, ou seja, um paciente com depressão pode passar a comer e dormir em excesso.

    É curioso que a tristeza, principal sinal da depressão, pode não se manifestar em um quadro da doença. “Na população há muitos casos de depressão sem tristeza. Entre os pacientes que apresentam este sintoma, a tristeza pode ser presente apenas na maior parte dos dias, não sendo necessário um contínuo ininterrupto”. Neste caso, é importante associar os outros sintomas à depressão para que o diagnóstico seja feito corretamente.

    Tratamento para a depressão

    Em geral, o tratamento da depressão se baseia na utilização de medicação específica (antidepressivo) e psicoterapia. Todavia, dependendo do nível do transtorno, pode ser que sejam necessárias apenas as consultas com o psicólogo. Quando o grau é maior, o uso do remédio se torna essencial para que os sintomas sejam efetivamente controlados.

    Ao iniciar o tratamento com o antidepressivo, é comum observar os sinais de melhora aparecendo cedo. Contudo, isso não significa que a medicação deve ser interrompida. Mesmo com evolução notável, deve-se manter a utilização do fármaco pelo tempo que o médico estabelecer. “O indivíduo deve permanecer tomando a medicação mesmo enquanto se sente bem para evitar que novos episódios ocorram”, afirma o psiquiatra Marcelo Paoli.

     

     

    Fonte: CUIDADOSPELAVIDA.COM

    Deixe seu comentário: