svg

100% saúde, 100% você!

    Segredos, negação e famílias dependentes

    Dependência Química, Psicologia / 29 de setembro de 2020

     

    As famílias dependentes são caracterizadas por promoverem comportamentos e mecanismos destinados a ocultar ou negar seus problemas essenciais, usando o segredo ou a negação para fazê-lo. Esse tipo de família é altamente destrutivo e, muitas vezes, profundamente infeliz.

    Segundo o professor Marcus Caldas, da Universidade de Deusto, na Espanha, os segredos e a negação alimentam comportamentos de dependência nas famílias. Por que estamos falando de famílias dependentes e não de indivíduos viciados? Na opinião desse especialista, o viciado é fruto e ao mesmo tempo afeta, de uma forma ou de outra, seu ambiente. Esse ambiente frequentemente participa do vício, consciente ou inconscientemente.

    Caldas propõe que a família funciona como um sistema, no qual a ação ou omissão de cada uma de suas partes repercute nas demais. Da mesma forma, nas famílias dependentes, a estrutura global influencia de forma decisiva os indivíduos que dela fazem parte.

    Muitas vezes, as famílias dependentes fazem do segredo e da negação duas ferramentas para evitar o alcoolismo ou o vício em drogas em um ou mais dos seus membros. Essa abordagem é inadequada e não é incomum que acabe causando o efeito contrário, ou seja, reforçando o vício.

    As famílias dependentes

    As famílias dependentes são aquelas em que existem padrões de comportamento e atitudes que favorecem a dependência compulsiva. O habitual é que seus membros considerem “normais” muitos comportamentos que não são; ou que, sabendo que não existe tal “normalidade”, decidam ignorar essa realidade e manter a situação como está. Existem algumas características que estão regularmente presentes em famílias dependentes, como as seguintes:

    • Impulsividade e descontrole. É comum que atuem motivados pela emoção do momento, muitas vezes pela raiva. Estímulos mínimos provocam reações desproporcionais.

     

    • Não há limites para o desejo. Em famílias dependentes, predominam os indivíduos que desejam realizar a sua vontade a todo custo. Eles veem o limite como algo negativo. Eles também não sabem como estabelecer limites para os outros.

     

    • Necessidade de gratificação imediata. Comumente, há uma baixa tolerância à frustração; isso se manifesta como uma enorme dificuldade em adiar gratificações. Eles querem o aquilo que desejam e querem agora.

     

    • Comportamento marcado pela labilidade. Em famílias dependentes, há grandes dificuldades em realizar planos e projetos. Eles deixam planos, amores, amigos, etc., pela metade.

     

    • Insatisfação contínua. Eles não são fáceis de satisfazer. Eles querem algo e, se conseguirem, já não lhes parece mais valioso.

     

    • Eles não toleram perder. A perda, seja o que for, torna-se uma catástrofe de grandes proporções. Eles chegam a forçar situações para não precisarem aceitar que perderam algo.

      Segredos e negação

      Dois dos recursos comuns em famílias dependentes são o uso do segredo e da negação em diferentes áreas da vida. É muito comum, por exemplo, que se o pai ou a mãe forem viciados, isso se torne um tabu. Não deve ser comentado com ninguém e não deve ser discutido. Simplesmente “acontece” e é isso.

      Também é comum que os membros da família tenham seus próprios comportamentos secretos, como esconder garrafas, ter relacionamentos clandestinos ou desenvolver comportamentos dos quais ninguém na família tem a menor ideia. Da mesma forma, desejos secretos associados a destruir a família, ir embora ou esconder algum comportamento sexualmente abusivo são incubados.

      Os segredos se tornam tão secretos que acabam se tornando negações propriamente ditas. É como mentir para si mesmo e acabar acreditando que a mentira é a verdade. O comportamento simulado se torna habitual e os comportamentos que não são “normais” são “normalizados”.

    O caos psicológico

    Tudo isso junto gera uma sensação mais ou menos constante de caos nas emoções, pensamentos e comportamentos. O importante é silenciado e, ao mesmo tempo, o irrelevante é exposto. O desespero e a desesperança muitas vezes se transformam em um desejo excessivo de controle. Tudo que é genuíno se torna uma fonte de vergonha e ocultamento.

    O normal é que todo o segredo e a negação aconteçam em torno da pessoa mais abertamente viciada. Tal pessoa desencadeia uma lógica com a qual expressa a ideia de que não está fazendo o que realmente está fazendo, ou que as consequências do que está fazendo não têm uma grande importância. Lógicas diferentes são excluídas. Se houver crianças envolvidas, seu mundo emocional “desaparece”.

    Os vícios são fenômenos complexos que não se limitam ao uso de uma substância ou à repetição compulsiva de um comportamento. A coisa mais importante em famílias dependentes não são essas manifestações, mas o estilo de vida e os padrões de comportamento que elas promovem. Do ponto de vista do segredo e da negação, eles estão apenas condenados a mergulhar cada vez mais fundo em seu problema.

     

     

     

    Fonte: A mente é maravilhosa.

     

     

     

     

     

    Deixe seu comentário: